Blogue especialmente dedicado à minha filha *Marta Castro *a razão maior da minha vida*

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Poeta e fadista

Mote: Vasconcelos e Sá / Glosa: J.F.Castro
- - -
Nos versos do meu espanto
A minha força transponho
Sou fadista, quando canto
Dou poeta, quando sonho


Eu canto como quem rezam / Aos pés do santo mais santo
Expulso a minha tristeza / Nos versos do meu espanto

Aceito a alma de artista / Que me transforma num sonho
Quando me sinto fadista / A minha força transponho

Transponho mundos de cor / Buscando da noite, o manto
Se tenho na voz o amor / Sou fadista, quando canto

Rimando amores de ninguém / Nos versos que então componho
Sou fadista, mas também / Sou poeta, quando sonho

Sem comentários: